Possível conflito entre integrantes do MST e escolta armada de fazenda no PA é intermediado pela Polícia

20

Cerca de 120 pessoas tentaram ocupar a fazenda em Jacundá e resolveram abandonar acampamento, após negociações. Duas armas foram apreendidas. Tentativa de ocupação de fazenda é impedida por policiais da Delegacia de Conflitos Agrários, no Pará.
Reprodução / Polícia Civil
Um possível conflito entre integrantes do Movimento Sem Terra e vigilantes de escolta armada, na fazenda Cajueiro, a 120 km do centro urbano de Jacundá, sudeste do estado, foi intermediado pela Delegacia de Conflitos Agrários (Deca), segundo informações divulgadas na noite desta quinta-feira (31) pela Polícia Civil.
Cerca de 120 pessoas, entre elas homens armados, estariam na fazenda a fim de iniciar uma ocupação. Segundo a Polícia, a ocupação da fazenda foi impedida e duas armas de fogo foram apreendidas.
Armas de fogo foram encontradas em caminhões, durante ação da Polícia.
Reprodução / Polícia Civil
Os policiais foram deslocados de Marabá até a região após receberem informações da tentativa de ocupação. O delegado Waney Alexandre disse que os policiais perceberam a gravidade da situação, pois apenas uma porteira separava o movimento e a escolta armada. “Primeiro, conversamos rapidamente com os vigilantes da escolta, e logo após, tivemos uma conversa inicialmente tensa com os sem terra”, explicou.
Segundo o delegado, as armas apreendidas estavam escondidas em caminhões e, ao final das conversações, as pessoas resolveram retornar para as residências em Nova Ipixuna e Goianésia do Pará. O deslocamento do grupo foi escoltado pelas equipes da Deca para que fosse garantida a integridade de todos, disse o delegado Alexandre.
A Polícia Civil informou ainda que parte do movimento tinha a intenção de retornar ao acampamento Paloma, que fica a 30 km da fazenda, mas resolveram encerrar o acampamento que já existia há dez meses.