Donald Trump exige que governo dos EUA invista em inteligência artificial

78

Governo norte-americano vê disputa com a China pela liderança na área. Casa Branca, no entanto, não deu detalhes sobre como será esse investimento. Presidente dos EUA, Donald Trump, durante encontro com xerifes na Casa Branca
Kevin Lamarque/Reuters
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ordenou nesta segunda-feira (11) que o governo dê maior prioridade a inteligência artificial (IA) – ação vista como o início de uma batalha com a China por essa liderança.
A ordem executiva American AI Initiative exige que “todos os recursos do governo federal” sejam dedicados a ajudar a impulsionar inovação em inteligência artificial.
“Os americanos se beneficiaram enormemente de ser os primeiros desenvolvedores e os líderes da inteligência artificial”, apontou a Casa Branca em um comunicado.
“No entanto, à medida que aumenta o ritmo da inovação da IA no mundo todo, não podemos ficar sem fazer nada e supor que nossa liderança está garantida.”
A ordem não detalha um financiamento específico nem uma estratégia concreta para a implementação da inteligência artificial.
A medida chega em meio à crescente preocupação de que a China ultrapassará os Estados Unidos em áreas-chave de inteligência artificial, auxiliada por uma estratégia nacional ampla e por um investimento acelerado.
Especialistas adotam cautela
Recursos de inteligência artificial vão melhorando com o uso, já que computador aprende e se aperfeiçoa
Pixabay
Darrell West, diretor do Centro de Inovação Tecnológica da Brookings Institution, disse que a iniciativa da Casa Branca foi “oportuna”, mas que é difícil saber como será implementada sem um financiamento claro.
“Às vezes o presidente lança iniciativas que soam bem, mas que têm pouco impacto”, disse West.
“A China está investindo 150 bilhões de dólares até 2030 com o objetivo de se tornar o principal país de IA no mundo. É importante que os Estados Unidos acompanhem o ritmo porque a IA transformará muitos setores diferentes.”
Daniel Castro, do Centro para a Inovação de Dados, um grupo de especialistas que trata temas de tecnologia, ofereceu uma resposta igualmente cautelosa.
“Se o governo quer que sua iniciativa de inteligência artificial seja transformadora, deverá fazer mais que reprogramar os fundos existentes para a pesquisa da inteligência artificial, o desenvolvimento de habilidades e o desenvolvimento de infraestrutura.”
O senador republicano Marco Rubio afirmou no Twitter que a iniciativa era um “bom começo”.