Comissão da Câmara aprova convite para presidente da Vale falar sobre tragédia em MG

4

Por se tratar de convite, Fabio Schvartsman pode optar por participar ou não de audiência. Barragem rompeu em Brumadinho há cerca de 20 dias; 165 mortes já foram confirmadas. Fabio Schvartsman, presidente da mineradora Vale
Reprodução/GloboNews
A comissão externa da Câmara que acompanha a investigação sobre a tragédia em Brumadinho (MG) aprovou nesta terça-feira (12) um convite para o presidente da mineradora Vale, Fabio Schvartsman, participar de uma audiência pública.
Por se tratar de convite, Schvartsman pode optar por ir ou não comparecer à audiência. O objetivo, conforme o requerimento aprovado, é discutir “o rompimento, a tecnologia de construção e o monitoramento dessa barragem frente à legislação atual”.
Há cerca de 20 dias, uma barragem da Vale rompeu em Brumadinho, levando uma enxurrada de lama à região.
De acordo com as autoridades locais, já foram confirmadas as mortes de 165 pessoas; outras 155 ainda estão desaparecidas.
Em 31 de janeiro, seis dias após a tragédia, Fabio Schvartsman se reuniu com procuradores da República em Brasília para discutir medidas para as vítimas.
Ao deixar o encontro, Schvartsman afirmou que a intenção da empresa é acelerar ao máximo, por meio de acordos extrajudiciais, o processo de indenização das vítimas do rompimento.
Questionado sobre as indenizações, o presidente da Vale afirmou que o valor a ser pago às famílias das vítimas será o “que tiver que ser” porque não há um valor definido.
A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) já pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender uma regra que impõe limite ao valor a ser pedido por trabalhadores como danos morais.
Ainda segundo Schvartsman, o rompimento da barragem foi tão rápido que a sirene que deveria soar em caso de acidente ficou “engolfada” pela lama.
Initial plugin text