Comissão da Câmara aprova convite para presidente da Vale falar sobre tragédia em MG

22

Por se tratar de convite, Fabio Schvartsman pode optar por participar ou não de audiência. Barragem rompeu em Brumadinho há cerca de 20 dias; 165 mortes já foram confirmadas. Fabio Schvartsman, presidente da mineradora Vale
Reprodução/GloboNews
A comissão externa da Câmara que acompanha a investigação sobre a tragédia em Brumadinho (MG) aprovou nesta terça-feira (12) um convite para o presidente da mineradora Vale, Fabio Schvartsman, participar de uma audiência pública.
Por se tratar de convite, Schvartsman pode optar por ir ou não comparecer à audiência. O objetivo, conforme o requerimento aprovado, é discutir “o rompimento, a tecnologia de construção e o monitoramento dessa barragem frente à legislação atual”.
Há cerca de 20 dias, uma barragem da Vale rompeu em Brumadinho, levando uma enxurrada de lama à região.
De acordo com as autoridades locais, já foram confirmadas as mortes de 165 pessoas; outras 155 ainda estão desaparecidas.
Em 31 de janeiro, seis dias após a tragédia, Fabio Schvartsman se reuniu com procuradores da República em Brasília para discutir medidas para as vítimas.
Ao deixar o encontro, Schvartsman afirmou que a intenção da empresa é acelerar ao máximo, por meio de acordos extrajudiciais, o processo de indenização das vítimas do rompimento.
Questionado sobre as indenizações, o presidente da Vale afirmou que o valor a ser pago às famílias das vítimas será o “que tiver que ser” porque não há um valor definido.
A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) já pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender uma regra que impõe limite ao valor a ser pedido por trabalhadores como danos morais.
Ainda segundo Schvartsman, o rompimento da barragem foi tão rápido que a sirene que deveria soar em caso de acidente ficou “engolfada” pela lama.
Initial plugin text