Elza Soares grava álbum produzido por Rafael Ramos após dois discos feitos com turma paulistana

47

No primeiro semestre de 2018, Elza Soares entrou em estúdio, sob a batuta do produtor Rafael Ramos, para gravar a música O tempo não para (Arnaldo Brandão e Cazuza, 1988) para a trilha sonora da novela da TV Globo também intitulada O tempo não para.
Nasceu ali uma parceria entre a artista e o produtor que gera neste ano de 2019 o 34º álbum dessa cantora carioca projetada há 60 anos com a gravação do samba Se acaso você chegasse (Lupicínio Rodrigues e Felisberto Martins, 1938), lançada em dezembro de 1959.
Após dois impactantes álbuns gravados com expoentes da cena musical paulistana sob a batuta do produtor Guilherme Kastrup, A mulher do fim do mundo (2015) e Deus é mulher (2018), Elza se prepara para entrar no estúdio carioca Tambor, na segunda quinzena deste mês de fevereiro, para gravar álbum produzido por Rafael Ramos.
Carioca, Rafael Ramos é produtor associado ao rock, tendo formatado a discografia de Pitty, por exemplo. Ao produzir o 34º álbum de Elza Soares, previsto para ser lançado em meados do ano pela gravadora Deck, Rafael tem a difícil missão de apresentar um disco tão retumbante quanto A mulher do fim do mundo e Deus é mulher.
Afinal, esses dois álbuns – sobretudo o primeiro – repaginaram o som e a imagem da cantora, tendo recolocado Elza Soares no primeiro time da música brasileira quando a cantora já estava há mais de dez anos sem lançar um disco à altura da voz e da importância dessa artista que completará incríveis 89 anos em junho.

Editoria de Arte / G1