Suspeitos de participar de assalto a banco são mortos em troca de tiros com a Polícia em Nova Esperança do Piriá, no PA

4

O tiroteio ocorreu após a operação Xeque-Mate que prendeu sete pessoas na zona rural do município. Uma troca de tiros em Nova Esperança do Piriá, nordeste do estado, resultou na morte de dois suspeitos de envolvimento no assalto a uma agência do Banpará do município de Bonito.
O assalto foi na madrugada de sexta-feira (8) e os assaltantes usaram dois veículos para chegar ao banco, fazer reféns e estourar dois cofres. Um suspeito de envolvimento foi preso na terça-feira (12), em Ourém.
O tiroteio envolvendo policiais civis e militares ocorreu após a operação Xeque-Mate que prendeu sete pessoas na zona rural do município. Diversos armamentos pesados e materiais explosivos foram apreendidos. As buscas pelo grupo criminoso prosseguem.
Polícia apreende armamentos pesados após tiroteio em Nova Esperança do Piriá.
Polícia Civil / PA
Com os suspeitos, a Polícia apreendeu uma carabina Magal calibre 30; um fuzil M16 G1 calibre 556; uma arma calibre 12; um fuzil plataforma M16 reduzida calibre 556; um fuzil de madeira calibre 762 sem marca ou numeração aparente e uma escopeta calibre 12 de coronha manual. Além das armas, foram apreendidos cordéis detonantes; espoletas; dois coletes balísticos; roupas camufladas e oito munições de calibre 12.
Foram apreendidos ainda cinco cartuchos de calibre 12 deflagrados; 51 munições de calibre .30; 51 munições para calibre .556; cinco munições 762; um carregador para carabina magal .30 e três carregadores para calibre .556.
Materiais explosivos são encontrados com grupo criminoso no interior do Pará.
Polícia Civil / PA
Operação Xeque-Mate
Sete pessoas foram presas nesta sexta-feira (15) em Nova Esperança do Piriá, nordeste do Pará, suspeitas de integrar uma organização criminosa envolvida com tráfico de drogas. A operação denominada Xeque-Mate também apreendeu arma de fogo e celulares.
A ação policial começou pela manhã e foi voltada ao combate ao tráfico e desarticulação de quadrilhas.
Segundo o delegado Temmer Khayat, da Superintendência Regional de Polícia Civil, as investigações começaram após o confronto entre policiais civis e militares e criminosos, no último dia 25 de janeiro. O tiroteio ocorreu no bairro Franklândia, quando foram identificados os principais participantes da quadrilha de traficantes, segundo o delegado.
Um dos detidos foi preso em flagrante por posse ilegal de arma de fogo. Os policiais encontraram a arma na casa dele. Seis suspeitos continuam sendo procurados pela Polícia.