Órgão regulador da bolsa dos EUA acusa Elon Musk de quebra de acordo

6

Presidente da montadora tuitou informação sobre produção da empresa sem pré-aprovação. Ele estava proibido de fazer isso desde que postou que pensava em tirar a Tesla da bolsa, em 2018. Elon Musk durante evento da “The Boring Company” nesta quarta-feira (19), em Los Angeles
Robyn Beck/REUTERS
A Comissão da Bolsa de Valores dos Estados Unidos (SEC, na sigla em inglês) acusou o fundador da Tesla, Elon Musk, de quebra de acordo por causa de mais um tuíte.
Musk postou informações sobre a expectativa de produção da fabricante de carros elétricos, na terça passada (19), sem que a mensagem tivesse sido pré-aprovada pela companhia.
O empresário está proibido de fazer declarações que afetem o valor das ações da montadora sem que elas sejam avaliadas previamente pelo conselho da Tesla.
A regra resultou de um acordo feito com a SEC depois que ele tuitou, em agosto passado, que pensava em tirar as ações da Tesla da bolsa, o que fez o preço dos papeis disparar.
O empresário voltou atrás no plano dias depois, mas enfrentou um processo pela comissão por causa do comportamento inadequado que terminou com seu afastamento da presidência do conselho da companhia e a promessa de não mais disseminar informações ao mercado sem pré-aprovação.
Na última terça, Musk postou que a Tesla produziria cerca de 500 mil veículos neste ano. Depois, editou o tuíte, dizendo que quis dizer que a média de produção semanal equivaleria a 500 mil carros em 1 ano, mas o total de entregas ficaria em 400 mil em 2019.