Capa de álbum do Amilton Godoy Trio revive grafismo modernista de discos do Zimbo Trio nos anos 1960

10

A capa de Tributo ao Zimbo Trio, álbum que o Amilton Godoy Trio lançará em 7 de março, remete às capas de discos antigos lançados pelo Zimbo Trio nos anos 1960.
A evocação é intencional. A ideia é reviver na embalagem do tributo o grafismo modernista estampado nas capas de álbuns como O fino do fino (1965) – gravado pelo Zimbo com a cantora Elis Regina (1945 – 1982) – e Decisão (1969), títulos antológicos da discografia do trio de samba-jazz formado em 1964 pelo pianista Amilton Godoy com Luís Chaves (1931 – 2007) no baixo e Rubinho Barsotti na bateria.
Dani Godoy assina a capa do Tributo ao Zimbo Trio, álbum que alinha 19 músicas em 12 faixas.
Capa do álbum ‘Tributo ao Zimbo Trio’, de Amilton Godoy Trio
Arte de Dani Godoy
O repertório inclui Incompatibilidade de gênios (João Bosco e Aldir Blanc, 1976), Loro (Egberto Gismonti, 1981), Aquarela do Brasil (Ary Barroso, 1939), Arrastão (Edu Lobo e Vinicius de Moraes, 1965), Avião (Djavan, 1989), Bebê (Hermeto Pascoal, 1972), Águas de março (Antonio Carlos Jobim, 1972) e Domingo no parque (Gilberto Gil, 1967), entre outras músicas.
O Amilton Godoy Trio é formado atualmente pelo pianista Amilton Godoy com Edu Ribeiro (bateria) e Sidiel Vieira (contrabaixo).

Editoria de Arte / G1