Relatório aponta falhas na qualidade de uniformes de escolas públicas municipais de SP

9

Análise do IPT foi feita a pedido do Tribunal de Contas do Município. Uniforme escolar de São Paulo
Divulgação
Pelo segundo ano consecutivo, um relatório do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) apontou falhas na qualidade dos uniformes escolares da rede pública municipal de São Paulo. A análise foi contratada pelo Tribunal de Contas do Município (TCM) e faz parte de uma auditoria na execução do contrato com o Consórcio Conaetêxtil, que forneceu os uniformes para o ano letivo de 2018.
O IPT analisou 22 kits com camiseta, bermuda, blusão, jaqueta e tênis retirados pelos auditores da Escola Municipal Laerte Ramos de Carvalho e da Emei Anhanguera.
Todas as peças de roupas analisadas apresentaram medidas fora do tamanho. As outras falhas apontadas foram em relação à composição e gramatura do tecido das peças.
Além disso, parte das amostras dos tênis também foram reprovadas por apresentaram descolagem da banda lateral e menor grau de resistência da borracha do solado.
O G1 procurou a assessoria de imprensa da Prefeitura no fim da manhã e aguarda retorno.
Fornecimento dos uniformes
O Consórcio Conaetêxtil forneceu 193.317 kits de uniforme escolar para as diretorias de ensino da Capela do Socorro, Santo Amaro, Ipiranga e Campo Limpo. O valor do contrato foi de R$ 29.558.169,30.
Por causa das falhas apontadas, o consórcio pode pagar uma multa de até R$ 4.377.180,17, segundo cálculo da auditoria do tribunal.
O TCM vai começar a auditoria nos uniformes escolares desse ano letivo.