Kevin Spacey não vai a audiência preliminar de julgamento sobre abuso sexual

13

Tribunal estadual de Massachusetts realizou, mesmo sem o ator, a audiência preliminar do processo contra o ator, acusado de ter abusado sexualmente de um jovem de 18 anos em um bar. Ele nega. Kevin Spacey, em foto tirada em audiência anterior, em Massachusetts
REUTERS/Brian Snyder/arquivo
Sem a presença de Kevin Spacey, o tribunal estadual de Massachusetts realizou nesta segunda-feira (4) uma audiência preliminar do processo contra o ator, acusado de ter abusado sexualmente de um jovem de 18 anos em um bar.
O juiz responsável pelo caso, Thomas Barrett, aceitou o pedido da defesa de ampliar a quantidade de registros telefônicos que serão preservados ao longo do julgamento e anunciou que uma nova audiência vai acontecer no próximo dia 4 de abril.
O incidente ocorreu em julho de 2016, quando um dos garçons do Club Car, um bar de Nantucket, foi supostamente assediado pelo famoso ator, protagonista da série “House of Cards”.
O jovem publicou uma gravação de parte do assédio de Spacey na rede social Snapchat e enviou o vídeo a sua namorada. As autoridades verificaram as imagens antes do julgamento.
Barrett determinou que os registros telefônicos entre 7 de julho de 2016 e 31 de dezembro de 2017 sejam preservados para servirem de prova no julgamento, informa o jornal “The Boston Globe”.
Na semana passada, os advogados de Spacey pediram que a acusação fornecesse os registros telefônicos do telefone celular da vítima entre os meses agora contemplados pelo juiz, alegando que, durante o período, os dois trocaram diversas mensagens e imagens que podem ser essenciais para o resultado do processo.
Na denúncia, o jovem, que é filho da ex-apresentadora de televisão Heather Unruh, admitiu que tinha mentido sua idade a Spacey, falando que tinha 23 anos em vez de 18. E que começou a falar com o ator de maneira amistosa.
Spacey, então, segundo ele, comprou várias bebidas alcoólicas para o jovem, fez comentários sobre o tamanho de seu pênis e pediu várias vezes para que os dois fossem para casa. Mais tarde, conforme a acusação, o ator acariciou a coxa do jovem, abaixou as calças e esfregou o órgão genital na vítima.
Caso seja condenado, Spacey pode pegar até cinco anos de prisão. No entanto, os advogados do ator disseram que ele nega as acusações.
A defesa ainda alega que a acusação tem “motivos financeiros significativos para fabricar a denúncia” devido ao “status de figura pública” do ator, considerado como um dos melhores de sua geração e vencedor de dois Oscar por “Os Suspeitos” (1995) e “Beleza Americana” (1999).
Em 2017, Spacey foi acusado pelo ator Anthony Rapp de ter abusado dele quando ele tinha apenas 14 anos. Na época, em pleno surgimento do movimento #MeToo, o protagonista de “House of Cards” disse que não se lembrava do episódio, mas pedia “sinceras desculpas”.
Outras acusações contra Spacey geraram investigações em Los Angeles e no Reino Unido.
As acusações fizeram Spacey ser demitido pela Netflix da série política de maior sucesso da televisão nos últimos anos. Além disso, o diretor Ridley Scott eliminou todas as cenas com o ator no filme “Todo o Dinheiro do Mundo” (2017).
Em dezembro do ano passado, Spacey publicou um vídeo interpretando Frank Underwood, seu personagem em “House of Cards”, para se defender as acusações de abuso sexual.