Justiça do Japão determina fiança de R$ 33,8 milhões para Carlos Ghosn

15

Ex-presidente da aliança Renault-Nissan-Mitsubishi está preso em Tóquio há mais de 3 meses. Brasileiro pode ser solto ainda nesta terça-feira (5). Carlos Ghosn
Chaiwat Subprasom/Reuters
A Justiça Japonesa determinou nesta terça-feira (5) que o brasileiro Carlos Ghosn, ex-presidente da aliança Renault-Nissan-Mitsubishi, pode ser solto, mediante pagamento de fiança.
Ele está preso em Tóquio desde 19 de novembro, acusado de fraude fiscal.
Prisão de Carlos Ghosn: o que se sabe até agora
De acordo com a emissora japonesa NHK, a fiança foi fixada em 1 bilhão de ienes, o equivalente a R$ 33,8 milhões, na cotação desta segunda-feira. Segundo a emissora, Ghosn pode ser solto ainda nesta terça-feira.