Capes vai implementar curso de especialização em ciência para o ensino fundamental

13

A expectativa é que 400 mil alunos da rede pública sejam beneficiado pela formação destes professores. Professores que atuam nos anos finais do ensino fundamental, do 6º ao 9º ano, e querem se especializar no ensino de ciências poderão contar com um curso de especialização que será implementado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). As inscrições serão abertas em setembro e as aulas começam em 2020.
A iniciativa faz parte do programa Ciência é Dez! e deve oferecer quatro mil vagas por meio da Universidade Aberta do Brasil (UAB). Ao todo serão 20 instituições públicas em 133 polos espalhados pelo país.
Segundo Carlos Lenuzza, diretor de Educação a Distância e Formação de Professores da Educação Básica da Capes, a expectativa é que 400 mil alunos da rede pública sejam beneficiado pela formação destes professores.
De acordo com o resultado do mais recente Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa, na sigla em inglês), feito com 70 países, o Brasil ficou na 63ª posição em ciências, na 59ª em leitura e na 66ª colocação em matemática.
A prova é coordenada pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).
Em cada edição, o Pisa dá ênfase a uma das três áreas. Na de 2015, o foco foi ciências. A nota do Brasil em ciências caiu de 405, na edição anterior, de 2012, para 401; em leitura, o desempenho do Brasil caiu de 410 para 407; já em matemática, a pontuação dos alunos brasileiros caiu de 391 para 377.
Cingapura foi o país que ocupou a primeira colocação nas três áreas (556 pontos em ciências, 535 em leitura e 564 em matemática).
‘Educação é transformar, libertar e fazer pensar ciência’, diz autora de tese premiada sobre letramento científico