Com crescimento de 239% em 2019, MS é o quarto estado do país em focos de incêndio, aponta INPE

9

Em razão dos riscos que os incêndios representam a população do campo e da cidade, ao meio ambiente e a economia, entidades e o Poder Público lançam campanha de prevenção no dia 22. Incêndio em Corumbá que atingiu região de mata no Pantanal neste mês de abril
Reprodução/TV Morena
Entre 1º de janeiro e 15 de abril de 2019, Mato Grosso do Sul registrou 1.024 focos de incêndio. O número é 239% maior do que o registrado no mesmo período de 2018, 302, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).
Com esse número de registros, Mato Grosso do Sul é o quarto estado do país em 2019 com o maior número de focos, sendo superado apenas por: Roraima, com 4.402; Mato Grosso, com 2.757 e Bahia, com 1.190. No país foram 13.758 no mesmo intervalo de tempo.
Dos focos em Mato Grosso do Sul, 56,4%, o equivalente a 579, foram registrados somente em um município, Corumbá, na Pantanal, região oeste do estado.
Entidades lançam campanha de prevenção a incêndios
Em razão dos riscos que os incêndios representam a população do campo e da cidade, ao meio ambiente e a economia, várias entidades, instituições e o Poder Público de Mato Grosso do Sul lançam na próxima segunda-feira (22), a 7ª Campanha de Prevenção e Combate a Incêndios.
A campanha é promovida pela Associação Sul-Mato-Grossense de Produtores e Consumidores de Florestas Plantadas (Reflore/MS) em parceria com a Federação de Agricultura e Pecuária do estado (Sistema Famasul), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/MS), Corpo de Bombeiros, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Polícia Militar Ambiental (PMA), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e produtores rurais.
“Com a missão de conscientizar as populações rurais e urbanas sobre a importância da prevenção e combate, anualmente temos realizado a campanha junto aos nossos associados e parceiros. Durante o período mais seco do ano, de abril a outubro, realizamos uma série de ações, como palestras em escolas, panfletagem educativa e treinamentos”, destaca o presidente da Reflore/MS, Moacir Reis.
Durante o evento será lançado em parceria com o Corpo de Bombeiros o curso de coordenador de Brigadas de Incêndio. “Visa subsidiar o conhecimento para elaboração de planos de contingências, com objetivo de minimizar acidentes que colocam em risco vidas humanas e danos ao meio ambiente”, destaca o presidente do Sistema Famasul, Mauricio Saito.
O curso será desenvolvido utilizando uma ferramenta chamada de Sistema de Comando de Incidentes (SCI), que possibilita o gerenciamento de incidentes de forma padronizada, para todos os tipos de ocorrências, o que permite a seu usuário adotar uma estrutura organizacional integrada para suprir as complexidades e demandas de incidentes únicos ou múltiplos.
O tema da campanha deste ano é “Queimar é crime”. A proposta é mostrar o quanto a ação humana ainda é uma das maiores causas dos incêndios e que essas atitudes podem ser penalizadas. Em caso de incêndio em mata ou floresta, o responsável por ser punido com pena, em caso de condenação, de dois a quatro anos de prisão, além do pagamento do multa. Mesmo nos casos dos incêndios culposos – os que aconteceram sem intenção, os responsáveis podem ser punidos com a detenção de seis meses a um ano, e multa.
O lançamento da campanha vai ocorrer na segunda-feira (22), às 8h, na sede da Famasul, em Campo Grande.