Rodrigo Lombardi cita rotina intensa em gravações de ‘Carcereiros’: ‘Valeu por 3 novelas’

15

Ator, que fez ‘dieta do sono’ em primeira temporada, conta que não conseguia dormir durante as filmagens da segunda fase da série. Rodrigo Lombardi em cena de “Carcereiros”
Globo/Ramón Vasconcelos
Rodrigo Lombardi não recomenda o ato como processo criativo, mas confessa que fez a “dieta do sono” para mergulhar no personagem Adriano durante a preparação para a primeira temporada de “Carcereiros”.
Já para a segunda temporada, prevista para estrear na TV nesta terça-feira (16), Rodrigo até já sabia bem as características de Adriano e poderia dormir tranquilo, mas o sono não veio.
“Eu estava longe da minha família, da minha mulher, do meu filho, num flat. Chegava pra dormir e saia pra trabalhar. Chegou uma hora que eu não conseguia mais dormir. Principalmente depois que a gente inverteu os horários e começamos a gravar as noturnas. Quando a gente fez essa mudança e depois voltamos para o dia, não consegui mais dormir.”
Rodrigo ainda deu detalhes sobre o intenso trabalho durante os três meses de gravações em São Paulo. “Em uma novela das 21h, a gente produz um capítulo de uma hora de arte por dia. Nesta série, a gente tem 27 minutos por dia. A novela passa todos os dias, a série uma vez por semana. A novela a gente grava um ano. Aqui, 12 semanas”.
“Mas esse trabalho me valeu por três novelas. Porque na novela, você grava uma cena, toma uma água, dá um conselho pra um amigo, aí você descansa porque o amigo vai gravar a cena dele, vai mudar o cenário…”.
“Já em ‘Carcereiros’ eram 12 horas diária comigo em todas as cenas. Me senti na 2ª série, que tem que levantar a mão pra fazer xixi.”
Elenco de ‘Carcereiros’ se reúne para lançamento de segunda temporada da série
Globo/Marcos Rosa
LEIA MAIS: Rodrigo Lombardi conta por que trabalha tanto: ‘Medo de virar mendigo’
Parceria com Tony Tornado
Durante o lançamento da segunda temporada de “Carcereiros”, Rodrigo recebeu muitos elogios do colega de trabalho Tony Tornado. O ator entregou que, quando soube da entrada de Rodrigo no projeto, ficou inseguro com o resultado.
“Quando eu vi, eu falei: ‘Vai ser difícil’. Ele é muito ‘because I love you’, fez muita novela e filme de amor. Como ele vai falar palavrão, dar porrada? Foi uma surpresa maravilhosa… Ele defendeu brilhantemente esse personagem”, diz Tony.
A confissão não era novidade para Rodrigo. “Ele já havia me dito, virou até uma piada interna”, conta. O ator ainda fez um desabafo sobre o colega:
“É um homem subutilizado. Ele tem tanto a mais pra dar do que um homem, negro, forte. É tanta sensibilidade dentro de uma pessoa só. É tanto amor que ele tem dentro dele. Unido, lógico, ao ódio pelas coisas que ele passou e ainda passa”.
Menos presídio, mais vida pessoal
A segunda temporada de “Carcereiros” mostra menos o ambiente do presídio e mais o lado pessoal dos personagens.
“Essa mudança já vinha da ideia do roteiro mesmo porque o presídio é um personagem muito forte, mas a série é sobre carcereiros.”
“A gente mostrou ele inserido nesse contexto na primeira temporada, mas sentimos a necessidade de contar o dia a dia. A gente deu um pouco mais de luz na vida pessoal do Adriano.”
Rodrigo Lombardi em cena de “Carcereiros”
Globo/Ramón Vasconcelos